Comércio Digital

Serviço de assinatura revoluciona o varejo tradicional

Tendência de mercado, modelo está mudando a forma de consumir determinados produtos e oferecendo novas experiências ao cliente.

 

Com a popularização do e-commerce, surgiu uma nova modalidade que está revolucionando o varejo tradicional: o serviço de assinatura.

Para Patricia Cotti, diretora executiva do Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo e Mercado de Consumo (Ibevar), o modelo está se popularizando no Brasil e possui forte atuação em países do exterior.

“O assunto já é, há muito, debatido nos fóruns de varejo americanos e europeus, com influências também no mercado nacional, em maior escala a partir de 2015”, avalia a especialista.

Os serviços de assinaturas tornaram-se um modelo de negócios direcionado para a comercialização de produtos de maneira recorrente e de forma simples. Ao assinar, o consumidor recebe periodicamente produtos selecionados pelo vendedor, os planos podem variar de acordo com o desejo.

Partindo da ideia, vários clubes de assinaturas surgiram nos últimos anos, como de livros, comidas, vinhos, produtos de beleza e tantos outros. “O objetivo de marcas que oferecem esse tipo de serviço é que o consumidor viva a experiência de receber produtos exclusivos ou importados direto em sua casa”, explica Patricia.

Os consumidores podem desfrutar de vantagens como o conforto e comodidade de receber suas compras em casa; produtos exclusivos ou em primeira mão; praticidade em relação ao pagamento e os pacotes de assinatura, além de um melhor custo benefício.

Já as marcas, conseguem manter a rentabilidade, já que o pagamento do serviço ou produto contratado é recorrente; estabilidade em relação ao fluxo de caixa e até mesmo a fidelização facilitada dos consumidores.

Nos Estados Unidos, onde o modelo é bem popular, algumas marcas se destacam. A Rocksbox Jewelry, por exemplo, se apresenta como um serviço de assinatura de joias, que movimentou o mercado americano desde o seu surgimento.

“Com milhares de adesões em um curto espaço de tempo, o cliente contrata por meio de um pagamento mensal e efetua a locação de 3 peças, definidas de acordo com seu estilo pessoal e a tendência de moda vigente. Quando o cliente deseja trocar seu conjunto, basta devolver pelos Correios e fazer um novo pedido”, explica a executiva.

Contudo, vale ressaltar que mesmo com as diversas vantagens é necessário ficar atento. “É importante que o consumidor estude as opções disponíveis e o que elas oferecem de benefícios para utilizá-los de maneira consciente e evitar problemas futuros”, orienta a diretora do Ibevar.

 

Leia também: 3 dicas infalíveis para se dar bem na Black Friday

 

Leia também: E-commerce fatura R$ 18 bilhões no terceiro trimestre

 

Fonte: Primeira Página

Redes Sociais