Inspirações

Paisagista homenageia Burle Marx na 1ª mostra Morar Mais em São Paulo

Com 250 m², ambiente compreende harmonioso conjunto de plantas ornamentais e espaços de descanso.

 

Um espaço de refúgio para relaxar, conversar e contemplar o verde e a brasilidade. Essa é a proposta do Jardim Tropical assinado pela arquiteta paisagista Catê Poli, na 1ª edição da Morar Mais por Menos, que vai até 17 de novembro.

Nos generosos 250 m² do ambiente, plantas ornamentais e cores vivas resgatam as características do homenageado: o paisagista brasileiro Roberto Burle Marx. O profissional completaria 110 anos em 2019 e é reconhecido mundialmente por seu trabalho na arte e no paisagismo.

“Burle Marx é um mestre e a nossa referência mais importante, além disso foi o grande pioneiro dos jardins tropicais no Brasil”, explica Catê Poli.

Para compor o projeto exposto na Morar Mais por Menos, Catê preservou os pândanus escultóricos existentes no terreno e incluiu novas espécies de plantas ornamentais e folhagens coloridas, a exemplo de guaimbês, costelas-de-adão, cycas, íris e bromélias.

Em busca de um colorido natural, as espécies cróton e palito de fogo também estão presentes oferecendo um tom alaranjado especial ao jardim. Para completar o espaço, a profissional apostou em um gramado com geo zoysia, variedade nova no mercado de gramíneas com folhas finas e mais resistentes a fungos. 

Quando o assunto é sustentabilidade, destaque para a arte do local, concebida com o reuso de biombos de botijões de gás, que resultam num clima lúdico e até mesmo inusitado. Para representar ainda mais a contribuição artística de Burle Marx na concepção do jardim, o projeto conta com um grafite de estêncil assinado pelo arquiteto e artista Arnaldo Degasperi.

 

Leia também: Vasos podem ser usados como bancos em salas de banho

 

Leia também: Casacor Minas recebe a Casa dos Eucaliptos

 

Fonte: Primeira Página

Redes Sociais